30 de junho de 2008

eu acho que vi um gatinho II - a missão


finalmente conseguimos... adotamos nosso bichano!!! um gatinho lindo e amarelo, de 03 meses. seu nome é otto e ele foi adotado na feirinha do MAPAN que acontece a cada 15 dias no Gonzaga. o MAPAN é um projeto fantástico que acolhe animais perdidos, vítimas de abandono e maus tratos. por não possuir sede própria, as fundadoras (uma mulherada de garra e muito boa vontade) cuidam dos animais em suas próprias casas, utilizando recursos próprios e contando com a ajuda de voluntários, veterinários e doações. nosso gatinho foi abandonado com outros 02 filhotes no horto. um deles foi atacado e morto por um pit bull e os outros dois sobreviveram... nossa campanha agora é tentar adotar o irmão também.

27 de junho de 2008

ótimo final de semana!

tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta. de sol quando acorda. de flor quando ri. ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso numa tarde grande, sem relógio e sem agenda. ao lado delas, a gente se sente comendo pipoca na praça. lambuzando o queixo de sorvete. melando os dedos com algodão doce da cor mais doce que tem pra escolher. o tempo é outro. e a vida fica com a cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende de ver. tem gente que tem cheiro de colo de deus. de banho de mar quando a água é quente e o céu é azul. ao lado delas, a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis. ao lado delas, a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo. sonhando a maior tolice do mundo com o gozo de quem não liga pra isso. ao lado delas, pode ser abril, mas parece manhã de natal do tempo em que a gente acordava e encontrava o presente do papai noel. tem gente que tem cheiro das estrelas que deus acendeu no céu e daquelas que conseguimos acender na terra. ao lado delas, a gente não acha que o amor é possível, a gente tem certeza. ao lado delas, a gente se sente visitando um lugar feito de alegria. recebendo um buquê de carinhos. abraçando um filhote de urso panda. tocando com os olhos os olhos da paz. ao lado delas, saboreamos a delícia do toque suave que sua presença sopra no nosso coração. tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa. do brinquedo que a gente não largava. do acalanto que o silêncio canta. de passeio no jardim. ao lado delas, a gente percebe que a sensualidade é um perfume que vem de dentro e que a atração que realmente nos move não passa só pelo corpo. corre em outras veias. pulsa em outro lugar. ao lado delas, a gente lembra que no instante em que rimos deus está conosco, juntinho ao nosso lado. e a gente ri grande que nem menino arteiro. tem gente como você que nem percebe como tem a alma perfumada! e que esse perfume é dom de deus. pra minha irmã postiça. (carlos drummond de andrade)

26 de junho de 2008

sai o médico fica só o monstro

lembra da consulta médica que eu contei aqui? então, tenho um retorno em breve e resolvi, assim como quem não quer nada, dar uma olhada no google, pra ver se achava alguma outra pessoa neste mundo com um nome assim, tão 'singular' quanto o do meu médico e... como eu pensava, só da ele na pesquisa... tudo página policial... o cara foi preso em janeiro/08... bem que minha mãe disse 'vc não tem medo de tomar esses remédios?'. já desmarquei meu retorno. a matéria tá aqui. ganha um doce quem adivinhar o nome dele...

24 de junho de 2008

a loira do banheiro

o prédio onde eu trabalho, aluga as salas para escritório mensalmente. ou seja, não existe um contrato fixo de um ano por exemplo. você até pode ficar um ano por aqui como é o nosso caso, mas se quiser, pode ficar um, dois ou três meses, depende da sua disponibilidade, vontade e possibilidade. isso faz com que a rotatividade de pessoas no meu andar seja bem alta. hoje você dá bom dia, daqui um mês fala tchau. a algumas semanas, apareceu por aqui um pessoal de 'moda'... como são muitos, se instalaram em 04 salas. um pessoal jovem e 'féxion' que falam alto ao telefone andando no corredor pra lá e pra cá, deixam as portas das salas abertas, como se todo o andar fosse deles e que fazem pequenas reuniões na recepção do andar, porque eles podem, afinal são todos 'muito féxion'. e modernos. são dois caras, um alto, loiro e cabeludo, meio fortinho e o outro baixinho, de cabelo preto quase careca e alargador de orelha, e três meninas, uma linda com cara de boneca e modelo de revista, que combina tudo com tudo na hora de se vestir, uma mestiça doidinha, com tatuagem nos dois braços até o punho, cabelo desgrenhado e alargador de orelha e uma loira poderosa, e loira poderosa de olhos azuis não precisa de maiores explicações. nenhum deles me cumprimenta, quer dizer a mestiça sim, e o outra bonita de vez em quando, assim quando é impossível evitar sabe? e a loira, bom, a loira é poderosa e não sai por aí cumprimentando qualquer um assim. a falta de educação é tamanha, que as vezes ela me olha nos olhos, eu cumprimento e ela não abre a boca. muda ela não é, tenho certeza. e esses dias essa situação toda estava me deixando ‘meio’ incomodada... comentei com marido, amiga, colega, quem quisesse me ouvir... e como a justiça tarda, mas não falha, no dia seguinte aos desabafos, fui escovar os dentes depois do almoço e percebo alguém lá no privado, fazendo um nº 2 básico. e quem era? a loira poderosa... e ainda por cima, depois de acabar, veio escovar os dentes também, do meu lado... eu não aguentei... aquele silêncio total, só barulho de escova no dente... foi me dando aquela vontade de rir, e eu fui segurando e não fui conseguindo me conter e eu ria e eu parava e eu disfarçava e depois ria de novo... fui ficando vermelha... conclusão, acabei de escovar os dentes bem rapidinho pra sumir daquela saia justa. mas o pior de tudo, é que no outro dia... peguei ela lá de novo... tadinha, deve tá com desarranjo... agora quando ela passa quem não cumprimenta sou eu, não quero constranger a moça...

20 de junho de 2008

18 de junho de 2008

grrr...!

sabe aqueles dias que você tem um monte de coisas pra comentar, tá cheia de assuntos, idéias, e quer escrever sobre tudo e todos? então, hoje eu tô assim, mas não consigo escrever nada além disso... esquisito né? e por falar nisso, ando tão esquisita que nem eu me aguento. e olha que já fui complacente, insistente e até impertinente comigo mesma. ai, coisa mais chata viu ?!?!?!!?!?

16 de junho de 2008

our little mister sunshine

roubaram nosso carro. simples assim. não, o bento não tinha seguro, era um fusca itamar e ninguém faz seguro de fusca itamar. o marido foi ao médico e quando voltou, só achou a vaga. horrível... recebi a notícia sentada, mas desabei de outras maneiras. minha primeira reação foi não acreditar. com certeza é mentira, você tá sonhando ou estacionou o carro em outro lugar que não aquele ali vazio na sua frente... daí você se belisca e vê que não é um sonho e fica paralisado, com aquela cara de nada indo pra lugar nenhum. até que sua ficha cai. daí vem a revolta, você xinga a merda do governo que provoca a bosta da desigualdade social, que cria situações como esta, onde um filho da puta qualquer pega uma coisa tua, conseguida com muito esforço e trabalho, e leva assim, puf, na maior facilidade. e então você ajoelha e chora e dá graças a deus que foi dessa forma, no melhor estilo polyana de ser, porque todo mundo podia estar lá dentro com uma arma apontada na cabeça ou qualquer situação assustadora deste tipo. e por fim você se conforma, já que ninguém pode fazer nada, chorar não vai adiantar. mas permanece aquele gosto amargo, como um osso entalado ou uma pedra no sapato. e a sensação de se sentir violado e invadido no mais íntimo que alguém possa chegar... eu sinceramente espero que quem tenha feito isso se foda muuuito, e que um dia possa sentir o que é ser violado e invadido por qualquer motivo que seja. e dane-se a desigualdade social criada por governos corruptos e capitalistas e se eu não vou pro céu por causa disso.

13 de junho de 2008

du, dudu e edu

hoje a sexta-feira além de ser 13, está mais chata. um amigo está deixando a empresa onde trabalha (que tem um laço estreitíssimo com a empresa onde eu trabalho) e está indo para uma outra empresa (que não vai estreitar os laços com a empresa onde eu trabalho), ou seja, não teremos mais tanto contato assim... estou feliz por ele, não é esse o ponto. é um cara muito profissional, competente ao extremo, e merece. muito. mas como ele mesmo sempre disse, sou uma cliente vip, com direito a tratamento vip, e soluções vip, para grandes pepinos e abacaxis nem tão vip's assim. e quando o tratamento vip dá direito a pacote de extensão, vários pequenos gestos, nos deixam enormemente mal acostumados. difícil perder um amigo de todo dia assim. óbvio que nem tudo era bacana sempre, também estavam presentes os dias de mal humor, tpm e saco cheio, mas enfim, hoje não é dia pra isso. como ele fez 'pouco caso' das minhas linhas de 'boa sorte' e 'tchau' pelo skype, prometi um post inteirinho só pra ele, e aqui está. que os bons ventos te guiem por este novo caminho e que ele possa superar tuas expectativas. te desejo tudo de muito bom sempre... e por favor, admita charlie brown, essa ninguém superou!! (que puxa).

9 de junho de 2008

arigatô!

ontem fomos novamente a pinacoteca benedito calixto. adoro aquela casa, seus jardins e suas pérgolas, a arquitetura, tudo aquilo ali, bem no meio de uma avenida movimentada e agitada. fora o clima de história que envolve o lugar, a sensação é de estar em outro mundo, em outro tempo. para comemorar os 100 anos da imigração japonesa no brasil, eles estão com uma exposição da AJAC (all nations & japan artists' co-operation), uma cooperativa de artistas criada há 33 anos no japão e que hoje reúne artistas do mundo todo. a exposição conta com 34 obras recentes de artistas japoneses e nipo-brasileiros. trata-se de arte contemporanea pura e muito bacana. entre os participantes está uma santista radicada em tókio, regina higa. eu que sou uma apaixonada pela cultura oriental, adorei!!! me chamou muito a atenção o trabalho de um artista chamado tanaka makoto, com suas pinturas delicadas de palhaços estilizados em papel, tons sóbrios e alguns objetos de cores fortes e quentes, aplicados em folhas de compensado rústico pintadas de verde bandeira fazendo o papel de molduras, e nas bordas, desenhos infantis feitos com giz pastel. simplesmente demais!!

6 de junho de 2008

i drove all night

como a maioria das pessoas, minha vida sempre teve trilha sonora. uma fase, alguns momentos, uma época, muitas passagens, ficam lá todas arquivadas no hd e podem ser lembradas rapidinho, com direito a detalhes e tudo, só escutando uma música. pois então, a cyndi lauper foi uma cantora que marcou muito uma fase da minha adolescência com o disco 'a night to remember'. eu sabia todas as músicas de cor e salteado, lado a e lado b (sim, porque nessa época ainda não existia o cd) e passava horas a fio escutando e escutando aquele lp. sonhando e divagando sobre a vida e meus amores adolescentes. depois já em são paulo, fui a um show dela no antigo olympia, e fiquei impressionada com aquela mulher pequena, de pele branquinha e cabelos amarelo ouro, acompanhada de uma banda e sem nenhum aparato visual, soltando aquela mesma voz, igualzinha a do disco, sem tirar nem pôr, durante todo o show... depois ela sumiu, eu não ouvi mais falar até que, a algumas semanas, achei um cd novo dela, disponível aqui de presente. baixei, mas ficou no trabalho e todo dia esquecia de passar pro mp3. até ontem... simplesmente a-do-rei!! me surpreendi... ela conseguiu se atualizar, sem perder a qualidade e sem deixar de ser cyndi lauper. vale muito a pena conferir!

4 de junho de 2008

o médico e o monstro


nesse tempo que fiquei sem novidades por aqui, resolvi procurar um médico, desses de regime, pra ajudar a perder os meus muitos quilos em excesso. não achei nenhum disponível pra me atender após horário comercial muito menos aos sábados. só um e apenas um topou me atender após as 18h. cheguei pra minha consulta e me deparei com algo, digamos 'pitoresco'. o médico atende em uma clínica estética meia boca, com uma recepção repleta de bruxinhas, gnomos e cristais espalhados por todo canto... tudo bem vai, cada um com sua crença, mas gnomos e bruxinhas? hoje em dia só a xuxa ainda deve acreditar neles. isso sem contar os muitos 'quadros de tapeçaria' pendurados na recepção, uma coisa super anos 70 com franjas e cores psicodélicas, mas melhor nem comentar... fui falar com as recepcionistas e me deparo com uma figura vestindo calça jeans surrada e camisa xadrez, um cinto com fivela do tipo 'tampa de panela' parecendo um 'peão de rodeio', ou pra ser mais atual e chique 'cawboy'. até aí tudo bem. me sentei pra aguardar minha chamada e em cinco minutos me pediram pra subir (o consultório ficava no andar de cima). qual não é minha surpresa, ao adentrar o consultório médico e me deparar com... o peão de rodeio lá de baixo... isso mesmo, era ele o médico. enquanto ele me fazia algumas perguntas era impossível não reparar atentamente aquela figura. olhos azuis, cabeleira farta e ondulada bem grisalha... a camisa aberta até o meio, mostrava quase todo o seu peito cabeludo, no melhor estilo tony ramos, e deixava aparecer uma corrente larga, com um medalhão enorme pendurado, parecia ouro 18 quilates e 7 que mordem. quase nem olhou na minha cara, não me deixou falar nada além de responder suas perguntas com monossilábicos 'sim' e 'não', me pesou de roupa de frio casaco e bota, que pesavam bem uns 3 quilos, mas me deu desconto só de meio, acho que pra me deixar com a consciência mais pesada. me receitou uns remédios super caros e umas injeções de enzima na bunda mais caras ainda, mas essa parte é opcional. ao final da 'consulta', que durou menos de 10 minutos, me chamou de linda, me tascou um beijo no rosto e disse 'boa sorte'... quando eu desci as escadas marido e filho exclamaram em coro: 'já???'... pois é, me deparo com ums figuras que nem eu acredito as vezes... isso porque eu nem ouso escrever o nome dele aqui, deve ser o único do mundo... devo confessar que nunca vi tantas consoantes juntas... uma coisa parecida com rumpelstiltskin de tão exótica...

2 de junho de 2008

envelheço na cidade


o mês de junho é pra mim o mês oficial de ficar mais velha. oficial porque envelhecer mesmo, envelhecemos todo dia, lenta e silenciosamente. mas desde que o mundo é mundo tem-se por costume 'celebrar' o dia do teu nascimento. eu detesto fazer aniversário, de verdade. não acho a menor graça. as pessoas te ligam pra te lembrar que vc está ficando mais velha e ainda te dão 'parabéns'. parabéns pelo que? por ter nascido? me desculpe, foi involuntário, a decisão não foi minha, fale com meus pais, eles é que merecem receber os parabéns. por terem me esperado nove meses, me criado outros tantos anos e me aguentado a maior parte do tempo. os presentes servem como prêmio de consolação, uma compensação por estar ficando mais velho. e quanto mais velho fica, mais caros serão os presentes pra te satisfazer. minha mãe coitada, fez algumas festinhas temáticas na minha infância que só serviram pra me traumatizar ainda mais. aproveitando-se das festas juninas tascava bandeirinhas na sala, fazia bolo com fogueirinha de deditos de chocolate e papel celofane vermelho, casal de bonequinhos de bala vestidos a caráter em cima de um bolo todo verde de côco e anilina e muito quentão e canjica pros convidados. até ai tudo bem, mas eu tinha que pagar o mico de me vestir de caipira, com direito a bochechas vermelhas e cheias de pintinhas... eu odiava... todos arrumadinhos, bonitinhos, vestindo seus melhores sapatos e eu de vestido de flanela florida e botina. depois, mais crescidinha, seguia os conselhos do Ira!, me reunia com outros jovens pra esquecer, encher a cara, tentando encarar com certa naturalidade o envelhecimento, com a maturidade dos meus vinte e poucos anos. hoje, depois de passar dos trinta fico rezando pra ninguém se lembrar... queria passar um ano, só um ano, sem que ninguém me ligue, mande email, scrap no orkut, chame no msn... nada... nenhum tipo de lembrança... fico pensando que se ninguém lembrar não aconteceu... mas não tem jeito, pelo menos os parentes mais próximos sempre te acham. fazer o que né? quem sabe um dia, se isso realmente acontecer, eu me sinta tão esquecida, tão deixada de lado que quase implore pra alguém se lembrar do meu aniversário... então, esse cenário é bem mais triste... melhor repassar o texto pra este ano, com os vários 'obrigada', 'não precisava', 'obrigada de novo', 'não precisava de novo' que eu vou ter de dizer...