19 de abril de 2013

eu não tenho mãe. eu não tenho pai

'Eu não tenho mãe há muito tempo. Eu não tenho mão. Eu não tenho quem me sugue o catarro do nariz. Eu não tenho peito. Eu não tenho quem me conserte as maçanetas da porta. Eu não tenho boca. Eu não tenho quem me defenda numa carta comprida. Eu não tenho pé. Eu não tenho quem me tire a cera do ouvido com uma pinça. Eu não tenho olho. Eu não tenho quem me conduza ao balé. Eu não tenho ouvido. Eu não tenho quem me passe o dedo delicadamente sobre o desenho das sobrancelhas. Eu não tenho sobrancelha. Eu não tenho quem me pendure na geladeira as garatujas. Eu não tenho unha. Eu não tenho quem me penteie cabelo com creme rinse. Eu não tenho perna. Eu não tenho quem me resolva os problemas do banco em outro país. Eu não tenho cotovelo. Eu não tenho quem me acorde cedo com a voz rouca. Eu não tenho rim. Eu não tenho quem me segure a mão para atravessar a avenida. Eu não tenho cílios. Eu não tenho quem me faça macarrão. Eu não tenho joelho. Eu não tenho quem me envie um peixe pelo correio. Eu não tenho umbigo. Eu não tenho quem me diga se mamei ou não. Eu não tenho costela. Eu não tenho quem me arrume a mala. Eu não tenho bunda. Eu não tenho quem me guarde os registros médicos. Eu não tenho calcanhar. Eu não tenho quem me ensine a coser. Eu não tenho tíbia. Eu não tenho quem me olhe com doçura. Eu não tenho bochechas. Eu não tenho quem me passe uma pomada nas costas. Eu não tenho costas. Eu não tenho quem me envie um cartão postal colorido com desenhos em hidrocor. Eu não tenho queixo. Eu não tenho quem me guarde o primeiro dente de leite perdido. Eu não tenho faringe. Eu não tenho quem me cubra as capas dos livros. Eu não tenho flanco. Eu não tenho quem me costure as cortinas. Eu não tenho língua. Eu não tenho quem me segure enquanto sopro as velas de aniversário. Eu não tenho cabelo. Eu não tenho quem me cante uma canção de ninar. Eu não tenho pálpebra. Eu não tenho quem me explique as placas de trânsito. Eu não tenho gengiva. Eu não tenho quem me ensine a dobrar camisas. Eu não tenho omoplatas. Eu não tenho quem me vista um casaco. Eu não tenho corpo. Eu não tenho quem me conheça tanto. Eu não tenho pulso. Eu não tenho mãe há muito tempo. Eu não tenho mãe.'
+++
além de não ter mãe, eu também não tenho pai. texto que eu li aqui e foto daqui.