23 de outubro de 2012

um tempo que refaz o que desfez

 









 


ainda quero ter essa delicadeza no olhar e fazer fotos lindas como as de li hui. além do site oficial, você também pode conferir suas fotos no flickr e no tumblr.

the night we called it a day





além de ator e diretor cultuado, dennis hopper fazia registros fotográficos incríveis. depois de sua morte em 2010, um livro foi lançado e agora as fotos ganham exposição no martin-gropius-bau em berlim, na alemanha.

2 de outubro de 2012

it's raining cats and dogs


"Entre um homem cachorro e um gato eu prefiro o gato. E o mesmo vale para amigos, amigas e quase todas as pessoas mais próximas. E na minha classificação não dá para ser um cachorro, porém gato. Quando coloco esses nomes, não estou me referindo àquela pessoa que dava em cima do bar inteiro enquanto você ia ao banheiro ou ao vizinho lindo do andar de cima. Pessoas-gato e pessoas-cachorro são caracterizadas por terem, literalmente, um comportamento felino ou canino.
As do tipo cachorro, como quase todos os membros de sua espécie, costumam gostar de todo mundo “de graça”. Elas adoram gente, são bem-humoradas, “abanam o rabinho” para qualquer pessoa e logo fazem amigos, por serem sociáveis. Cães são conhecidos por serem leais, carinhosos e amorosos. Gatos, comumente tachados de interesseiros e antissociais, também são exatamente assim com seus amigos/ donos, mas é preciso fazer por merecer. É preciso conquistá-los. Pessoas-gato não te darão uma lambida logo de cara e tendem a evitar contato com estranhos. Elas geralmente são independentes, espertas, consideradas egoístas e não têm um círculo enorme de amigos.
Pessoas-cachorro, por terem tanto amor gratuito para dar, costumam exigir menos cuidados: talvez você não dedique a atenção necessária em um dia atribulado, ou seja, grosseiro eventualmente, mas a pessoa-cachorro não guarda mágoas e tudo fica bem quando se reencontram. Ter essas atitudes com pessoas-gato pode ser um pouco mais desastroso. Frequentemente chamadas de rancorosas, pessoas-gato prezam pela qualidade de suas poucas relações, que levam à base de confiança mútua e liberdade, que não deve ser confundida com ausência. Esse último tipo, apesar de saber de seus encantos, não costuma ser visto em muitas festas – e, quando vai, geralmente está num canto estratégico, observando. Talvez não seja fácil começar uma amizade pelas redes sociais dela, que não têm muitos posts ou interações.
Em situações de desavenças, pessoas-cachorro costumam ser impetuosas, agressivas e impulsivas. Provavelmente serão ouvidos bravos latidos e rosnados e você pode sair bem machucado da disputa. Já as pessoas-gato evitam confrontos, mas quando o fazem, brigam em silêncio e te dão leves arranhões, quase imperceptíveis aos olhos de terceiros. A vítima, porém, saberá o quando aquelas garras afiadas, geralmente escondidas, ardem e demoram a cicatrizar.  Pessoas-cachorro tendem a se arrepender do mau comportamento e aceitar uma conciliação, enquanto os gatos se refugiam em sua toca e demoram a dar as caras após um atrito.
Tanto as pessoas-cachorro quanto os cães em si são boas companhias, podem ser “o melhor amigo do homem”, conquistam com facilidade e são dóceis. Mas as pessoas-gato, assim como os bichanos, me fascinam com seu jeito majestoso, sua distância, seu jeito livre e seu misterioso ar de “conquiste-me se for capaz”."
+++
uma graça esse texto da débora do pensamentos de ovelha. a foto é daqui.