17 de fevereiro de 2012

todo carnaval tem seu fim...


eu não gosto mais de carnaval. já fui foliã de pular as cinco noites, mas hoje não gosto mais. respeito quem goste, mas eu gosto mesmo é de ter dias livres e me enfiar em algum lugar onde eu esqueça que é carnaval. portanto, pra quem gosta, bom carnaval e pra quem não gosta, bom feriado!!!

tô cansada de tanta babaquice, tanta caretice e desta eterna falta do que falar

“Cada vez que o reino do humano me parece condenado ao peso, digo para mim mesmo que à maneira de Perseu eu devia voar para outro espaço. Não se trata absolutamente de fuga para o sonho ou o irracional. Quero dizer que preciso mudar de ponto de observação, que preciso considerar o mundo sob uma outra ótica, outra lógica, outros meios de conhecimento e controle. As imagens de leveza que busco não devem, em contato com a realidade presente e futura, dissolver-se como sonhos…”
+++
cada vez mais o ser humano volta a sua era mais primitiva, cada vez mais nos tornamos animais que de racionais não temos nada. quanto maltrato, quanta crueldade, quanta intransigência. se mata por pouco, se briga por nada e se espanca por menos ainda. ninguém mais aceita ser contrariado, ninguém mais é tolerante com a diferença. as pessoas querem ganhar o tempo todo, ou levar vantagem em tudo. ser humano precisa aprender a viver com leveza, precisa aprender a respeitar o próximo. perdemos valores ao longo da historia da humanidade e isso nos aproxima cada vez mais do homem pré-histórico, do bicho irracional. não precisamos desse consumo desenfreado que a sociedade moderna com cartão de crédito no bolso prega. respeito ao próximo é o que precisamos. ser humano tá parecendo criança contrariada, birrenta e mal-educada. mas não pode levar chinelada na bunda, porque agora existe uma lei que condena isso. faça-me o favor. sejamos leves! desculpem-me, foi mal, mas é que ando cansada dessa babaquice toda ao meu redor e quando li a citação de ítalo calvino aqui, não aguentei. a ilustração é daqui.

porque me arrasto a seus pés?

sapatinho de cristal (foto daqui)

15 de fevereiro de 2012

sitting, waiting, whishing...


sabe aquelas fases da vida em que tudo, mas tudo mesmo anda difícil? as coisas não andam, os acontecimentos não ajudam e sua tolerância com tudo ao redor vai ficando cada vez menor e pra ajudar desejos malucos ficam pipocando na sua cabeça só pra embaralhar suas idéias? então, só pra ilustrar, começo dizendo que ando com uma vontade imensa de comprar um patins de quatro rodas branco igual a esse aqui e andar pela orla de santos com a trilha sonora de xanadu inteirinha tocando no meu radinho, um pouco bizarro, eu confesso, mas desejo maluco é assim mesmo, sem muita explicação e ponto. também ando com desejos latentes de largar tudo e morar em paraty, abrir uma pousada, um café, uma loja de artesanato, ou qualquer outra coisa mais alternativa, que me salve dessa minha realidade de capitalismo selvagem, 'selva de pedra' e dessas dúvidas frequentes que assolam a sociedade moderna; como se não bastasse, ando com uma ideia fixa de cortar meu cabelo bem curtinho de novo e me livrar da escravidão de hidratar, descolorir, secar, esticar e qualquer outro 'ar' do gênero, porque, veja bem, não tem coisa mais difícil do que manter uma cabeleira rebelde e ondulada nesse mundo de chapinha e progressiva. andei pensando em ter uma cachorrinha pra me fazer companhia, mas fiquei na dúvida se queria uma shih-tzu com sua personalidade calma e tibetana ou uma vira-latinha bagunceira pra fazer boa ação, então, diante de tanta dúvida achei melhor desistir, afinal um bichinho de estimação é coisa séria e definitiva. mas não posso ver um cachorrinho fofo na rua que a vontade volta. agora, o pior mesmo, é quando tenho ímpetos de sair correndo, gritando ou quebrando tudo por aí, pode ser um ou outro, mas as vezes dá uma vontade de juntar tudo sabe? correr, gritar e quebrar. nesses meus piores dias, nem eu mesma me aguento. tenho uma impaciência insuportável com essa minha intolerância, e isso, num motocontínuo (ou moto-contínuo, sei lá), vai tornando tudo mais difícil. acho que vou me trancar no quarto escuro e esperar pra ver se passa... ou talvez seja hora de voltar pra terapia ou pra yoga. talvez freud ou krishna expliquem. perceberam a coerência? a ilustração linda é do stunkid.

trilha sonora de viagem congestionada...



10 de fevereiro de 2012

café sem açúcar, dança sem par

amanhã faz 3 meses e ainda sinto a falta da minha mãe todo dia. conviver com essa ausência tem sido muito difícil. dói lá dentro. ainda sonho com ela toda noite. ainda tenho impulsos de ligar pra conversar. ilustração linda de jennifer davis.

8 de fevereiro de 2012

3 de fevereiro de 2012

ótimo final de semana a todos!!!!


hoje é sexta-feira e os dias de cão chegam ao fim... pelo menos até domingo a noite, quando tudo volta a ser como era antes!

2 de fevereiro de 2012

sem palavras

ando com vontade de escrever, mas parece que as palavras fugiram de mim... como na música do móveis coloniais de acaju 'pensei em mil palavras, e enfim, nenhuma delas coube em mim'... acho que é só uma fase, acho que passa, acho que talvez elas voltem, acho que talvez eu as encontre... a foto é minha.